(11) 96768-7583

COMPRE PELO WHATSAPP

Seg - Sab: 9:00 - 18:00

Horário atendimento

NOSSO BLOG

Como evitar e prevenir perdas de produtos em supermercados (parte 1)

Vamos falar sobre prevenção de perdas em supermercados? Por gerar grandes prejuízos financeiros, esse tipo de desperdício é um dos maiores desafios do cotidiano de empresas do segmento e, portanto, merece uma atenção especial.

 

Existem inúmeras situações que podem ocasionar perdas, desde aquelas relacionadas ao vencimento de
produtos perecíveis até os pequenos furtos. Todos esses casos comprometem as receitas do negócio, bem
como o capital de giro necessário para repor as mercadorias que foram perdidas.
Diante desse grande problema, trouxemos aqui um conteúdo repleto de dicas e informações que vão ajudá-lo a prevenir tal tipo de ocorrência e, assim, fazer com que o empreendimento cresça.

Quais os tipos de perdas mais recorrentes em supermercados?
Antes de tudo, é necessário esclarecer o que são perdas de estoque. Elas são identificadas quando há
diferença entre o estoque registrado no sistema e o estoque real.

Não há dúvidas de que elas têm um
grande impacto no desempenho dos supermercados. Suas causas podem estar localizadas em vários
setores e em diferentes momentos das atividades diárias.

Por isso, é necessário implementar um programa de prevenção de perdas capaz de estabelecer um
controle preciso em todos os procedimentos de logística, segurança, gestão de pessoas e gestão financeira.
O primeiro passo para propor soluções é reconhecer os fatores que causam o problema, ou seja, saber que
tipos de perdas são mais recorrentes.

Elas podem ser classificadas em dois grandes grupos: perdas
conhecidas e perdas não identificadas. Veja a seguir as ocorrências que se enquadram em cada categoria:

1. Perdas conhecidas
As perdas conhecidas, também chamadas de perdas operacionais, são resultados de erros de processo e
falhas gerenciais recorrentes no cotidiano do estabelecimento. Como suas causas são internas, podemos
dizer que são previsíveis. As ocorrências mais comuns nesta categoria são:

  • Danos relacionados à manipulação do produto
    Esse tipo de perda é muito comum em redes varejistas e possui forte ligação com a atuação dos
    funcionários que lidam diretamente com o produto. Ocorrem durante o deslocamento das mercadorias
    dentro da loja ou no estoque, causando avarias que impedem sua comercialização.

Alguns exemplos desse tipo de falha são: uma caixa de leite que sofre uma perfuração no deslocamento,
um copo de vidro que recebe algum choque e se quebra, entre outros. Um dos fatores que influencia
negativamente nesses casos é a organização inadequada do espaço físico dos depósitos e da loja.

  • Itens com prazo de validade expirado
    As perdas por este motivo são o resultado de procedimentos de controle de estoque e logística pouco
    eficientes. O giro de mercadorias é um fator bastante significativo nesses casos. Quando há falhas de
    armazenagem e reposição, os produtos mais novos são vendidos e os mais antigos ficam encalhados nas
    prateleiras.
    O prejuízo é alto, pois além do descarte da mercadoria, o estabelecimento também corre o risco de
    receber autuações e multas pesadas. Outro impacto importante é o dano para a imagem da empresa
    frente aos consumidores.
  • Deterioração de mercadorias perecíveis
    O armazenamento e manipulação de produtos perecíveis devem seguir protocolos rígidos, já que eles
    podem ser contaminados facilmente. Assim, insetos, pragas e o próprio contato com produtos químicos e
    tóxicos são situações que poderiam ser evitadas e que acabam comprometendo a integridade das
    mercadorias.
    Os produtos perecíveis, principalmente hortifrutigranjeiros, perdem a qualidade e a validade e precisam
    ser descartados.
    Falta de cuidados com limpeza, compras em excesso, má escolha dos fornecedores e armazenamento
    inadequado são os principais fatores que interferem nesta área.

2. Perdas não identificadas
Esse tipo de perda não pode ser previsto pelos gestores e funcionários. Ele ocorre ocasionalmente e, em
geral, só é identificado por meio de um inventário. Suas principais ocorrências são nas seguintes situações:

  • Furtos
    Os furtos são, sem dúvidas, as situações mais frequentes de perdas não identificadas que podem causar
    um grande prejuízo no estoque. Infelizmente, tais atitudes podem partir tanto de clientes e visitantes
    quanto de funcionários, sendo um dos maiores desafios para a equipe de segurança da loja.
  • Desvios e fraudes por funcionários
    Há situações em que funcionários aproveitam-se da vulnerabilidades dos procedimentos para cometer
    diversos tipos de desvios. Os casos mais comuns incluem a passagem de produtos pelo checkout sem que
    sejam registrados ou o registro de um item com o código de outro mais barato.
  • O colaborador pode“esquecer” de passar um pote de sorvete pelo leitor, por exemplo.
    Programas de fidelidade também são brechas para fraudes. O operador do caixa pode aproveitar a compra
    de um cliente que não participa do programa e registrar a transação em seu próprio cartão. Toda
    possibilidade de fraude é de difícil detecção, portanto, é necessário ter muita cautela antes de tomar
    qualquer providência direta.
  • Desvios e fraudes por clientes e visitantes
    Os frequentadores da loja também desafiam os sistemas de prevenção de perdas, utilizando uma série de
    artifícios. O principal deles é o consumo de produtos dentro do mercado. Isso acontece principalmente
    com bebidas, como iogurtes, refrigerantes e cervejas. A pessoa consome o produto e descarta a
    embalagem antes de passar pelo caixa.

Também são comuns as trocas de etiquetas ou embalagens. O consumidor pode trocar propositalmente o
preço das gôndolas ou até alterar o conteúdo das embalagens para levar um produto mais caro no lugar de
outro. Também há os que utilizam as fraquezas nos procedimentos de devolução para levar vantagens
indevidas. Pessoas escondem produtos sob a roupa, em bolsas, mochilas ou guarda-chuvas e saem sem
passar pelo caixa. Os produtos mais visados costumam ser os mais caros.

No próximo post vamos falar sobre quais são as melhores práticas para a prevenção de perdas em supermercados.

 

Referências:
casamagalhaes.com.br/blog/prevencao-de-perdas/perdas-e-furtos-em-supermercados/
portalapas.org.br/catalogo-de-cursos/prevencao-de-perdas-em-supermercados/
abrasnet.com.br/economia-e-pesquisa/perdas/pesquisa-2017/
bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/6ba30509d22d3c4deda82eedf426cfe
f/$File/5684.pdf

plugins premium WordPress
× Como posso te ajudar? Available on SundayMondayTuesdayWednesdayThursdayFridaySaturday